Início Pecuária Agricultura Aquicultura Horticultura TV Criar e Plantar

Busca no Site

Seções

Cebola


Sementes

Para esse fim, as cebolas são colhidas bem maduras, e, depois da cura, rigorosamente selecionadas, isto é, são colhidos bulbos arredondados e não perfilhados. Apenas bulbos perfeitos, firmes e com as características da variedade, serão reservados. Aqueles de segunda, cujo diâmetro transversal varia de 40 a 55 mm, quando bem escolhidos, dão ótimos resultados.

O trabalho de restiar é o comum, sendo as tranças amarradas em grupos de quatro e dependuradas em travessas de madeira roliça, distanciadas em 1 m, até a cobertura do galpão, ficando cada série á distância de 1 m, da seguinte.

Nesses varais, elas se mantêm relativamente perfeitas até meados de abril ou princípios de maio, época de plantio. As podres vão sendo retiradas, através de inspeções freqüentes. Os galpões precisam ser amplos, secos e bem ventilados.

Pode-se também dispensar o restiamento, sendo os bulbos armazenados em estrados ou tabuleiros, em galpões bem ventilados, com duas camadas de bulbos, no máximo, a fim de favorecer sua conservação.

A gleba de terra escolhida para plantio dos bulbos deve ser bem isolada de outras culturas de cebola, porque essa planta se cruza com facilidade. Uma distância mínima de 2 Km assegura o isolamento do campo.

Não será exagero recomendar que o campo de produção de semente seja distanciada do campo de produção de muda, porque neles sempre aparece certa porcentagem de hastes florais prematuras que iriam comprometer o valor das sementes colhidas.

As baixadas férteis e enxutas, em geral, não dão boa produção de sementes, apresentando, ainda, a desvantagem de serem muito sujeitas a ataque de moléstias.

Por isso, terras de meia encosta com possibilidade de irrigação por infiltração, são as mais recomendáveis.

O preparo da terra é idêntico ao usado na obtenção de bulbos, variando só a distância de plantação. O espaçamento a ser empregado deverá ser o seguinte: para duas linhas distanciadas de 0,80 m, deixar um caminho de 1,50 m, afim de facilitar os tratos culturais, principalmente as pulverizações. O espaçamento entre as plantas será 0,10 m.

Para terra de mediana fertilidade, dependendo de sua análise, a adubação poderá ser a seguinte, por metro de sulco:

Esterco curtido de curral

 5 quilos

Superfosfato (20% P2O5)

100 gramas

Cloreto de potássio (60% K2O)

 20 gramas

Nitrocálcio (20% N)

 40 gramas

Tais adubos serão aplicados nos sulcos, 8 a 10 dias antes do plantio dos bulbos, á exceção do Nitrocálcio, que será aplicado em cobertura aos 30 e 45 dias após o plantio, metade da dose em cada aplicação.

O Nitrocálcio poderá ser substituído por sulfato de amônio (20% N) ou por salitre do Chile (15,5% N), levando-se em conta o teor em N.

Três meses após, quando já estão desprovidas de folhas, convêm chegar terra às plantas, a fim de aumentar-lhes a estabilidade, pois as hastes florais chegam a alcançar mais de 1 m de altura.

O plantio dos bulbos deverá ser efetuado de fins de abril a princípios de maio. Cerca de 6 meses depois do plantio dos bulbos, dá-se o início das colheitas, que se prolongam por 40 ou 50 dias.

A média de produção é de quatro a cinco inflorescência por pé, chamadas cachopa, no Rio Grande do Sul, e em S.Paulo, sendo umbela o nome certo.

Numa cultura normal, considera-se boa uma produção de sementes equivalente a 10% do peso dos bulbos plantados.

Efetua-se a colheita quando cerca de 40% dos bulbos estão se abrindo. Nesse ponto, a umbela de desprende com facilidade, bastando puxá-la com a mão. São, então, colhidas em sacos e depois espalhadas em galpões ventilados, em camadas de 7 a 8 cm, devendo ser revolvidas uma vez por dia.

No caso de pequenas quantidades, estando secas, são postas em sacos e cuidadosamente batidas com pau roliço. Para facilitar um revolvimento perfeito e evitar que se rompam, os sacos não devem levar mais de um terço da sua capacidade.

As sementes que caírem dos frutos durante a secagem das umbelas, serão peneiradas, assim como as que foram batidas no saco.
Para grandes quantidades de sementes, existem máquinas que efetuam o beneficiamento completo.

Germinação-índice

É imprescindível conhecer o valor germinativo das sementes, tanto colhidas como compradas. Para tanto, faz-se o seguinte:

- Em um recipiente ou caixa de madeira com altura máxima de 5cm, coloca-se areia bem limpa, até a metade;
- Sobre a areia coloca-se um pedaço de mata-borrão, com cem sementes tiradas ao acaso do saco em que estavam guardadas; convém desinfetá-las, para evitar o desenvolvimento de bolores, que inutilizariam a experiência;
- Encharca-se o conjunto com água limpa, mas de modo que não fique água acumulada no fundo do recipiente;
- Cobre-se o recipiente com um pedaço de vidro, deixando-se pequena abertura para entrada de ar, ou com um pano esticado;
- Toda manhã, efetua-se nova irrigação, tendo o cuidado de não tocar ou movimentar as sementes.

Quatro ou cinco dias após, começa a germinação. Vai-se, então, diariamente, retirando e contando as sementes germinadas, até o décimo dia. Pela contagem total das germinações fica-se conhecendo a porcentagem de germinação das sementes; considera-se boa uma germinação acima de 70 %.

Email:
Senha:


Esqueci Senha
Cadastre-se
Receba as notícias
© 2001 - 2013 Criar e Plantar - Todos os direitos reservados