Início Pecuária Agricultura Aquicultura Horticultura TV Criar e Plantar

Busca no Site

Seções

Aspargo


Colheita e Embalagem

A colheita do aspargo consiste no corte dos turriões, que são brancos quando crescem através da espessa camada de terra da leira e, quando não existem as leiras sua cor é verde. O aspargo branco é mais apreciado no Brasil.

Os turriões podem ser colhidos a mão, mas é mais freqüente e recomendável o uso de uma ferramenta chamada de colhedor de aspargo, que torna a operação mais rápida e sem perigo de ferimentos na planta.

O colhedor de aspargo nada mais é do que uma lâmina de aço com um cabo de madeira. A lâmina mede cerca de trinta centímetros de comprimento e três centímetros de largura, e tem espessura suficiente para dar-lhe firmeza. Sua ponta é um bisel, afiado sempre que necessário, para cortar os brotos abaixo da superfície do solo.

Quando se colhe a mão, recomenda-se descalçar cuidadosamente os brotos, segurar os de bom tamanho e destacá-los com um movimento de torção. Em seguida, colocar de novo a terra retirada.

Nas zonas frescas do Estado de São Paulo, geralmente no mês de setembro, há calor suficiente para a brotação.

A temperatura é que regula o intervalo entre as colheitas. Convém colher sempre pela manhã, diariamente, mas se a temperatura diminuir, somente cada 2 ou 3 dias formam-se brotos para colheita. Se o contrário acontece, isto é, aumentam a temperatura, podem ser feitas duas colheitas por dia, uma de manhã e outra à tarde.

É essencial que os turriões sejam colhidos no ponto, isto é, antes que se abra a ponta para formar as folhas. Além disso, devem ser eretos e lisos. Os brotos muito finos e os tortos devem ser eliminados no campo.

Os colhedores devem colocar os turriões em recipiente semelhantes a cestas, com alças, para transportar, e com tampas, para evitar o sol. Quando essas cestas se enchem, transferir os turriões para outras maiores também com alça e tampa, de capacidade de perto de 25 a 30kg. Esses recipientes maiores são colocados nas extremidades das fileiras de plantas onde deve existir caminho para entrada de veículos que os transportem ao local de embalagem.

Não é recomendável a colheita de turriões no ano da plantação das mudas de aspargo. No segundo ano, colher durante 20 a 30 dias; no terceiro ano, de 40 a 50 dias; nos demais anos, enquanto o aspargo for vigoroso, colher durante 50 a 70 dias. A duração da colheita dependerá da grossura dos turriões. Se se tornam muito finos, é sinal que as reservas da planta se esgotaram e há necessidade de um período de vegetação com nova adubação.

O número de anos de colheita depende de muitos fatores, tais como: variedade, solo, clima, adubação, tratos culturais. Uma plantação em boas condições agronômicas poderá dar, em média 10 colheitas durante 11 anos, pois não se colhe no ano da plantação.

Embalagem: No local de embalagem, os turriões são lavados e, depois, aparados para ficar com o mesmo cumprimento, cerca de 20 a 25cm a contar da ponta. Existem em outros países diversos tipos de aparelhos que facilitam essa operação, bem como o preparo de maços de turriões.

Entre nós e para o mercado local costuma-se separar os turriões em dois ou três tipos, de acordo com a sua grossura, e depois amarrá-los nas duas extremidades em forma de maços. Estes poderão ter peso certo, por exemplo: 500, 1.000 ou 1.500 gramas. Usa-se, para amarrar, barbante, fita, ráfia, elásticos de borracha, tiras de folhas de palmeiras, etc. Se os turriões murcharem um pouco e o amarrilho ficar frouxo, é só mergulhar a base cortada em uma vasilha com água para voltar ao normal.

Para despachos, nos Estados Unidos, os maços são embrulhados em papel impermeável, tendo a base apoiada em material absorvente; são molhados ligeiramente e, em seguida, encaixotados. Também podem ser encaixotados a granel, sendo a caixa formada com papel impermeável e a base dos brotos apoiados em estopa úmida.

Nas plantações pequena e média da Califórnia-EUA, o turrião é levado aos ranchos localizados nas plantações, depois aparados para ficar com o mesmo comprimento, encaixotando e enviando o mais breve possível para as fábricas. Nas grandes plantações dos Estados Unidos, os turriões são encaixotados após a colheita e levados por caminhões para prédios com instalações próprias, onde são aparados por máquinas, a um comprimento de cerca de 17cm, e lavados com água borrifada sob pressão. São de novo encaixotados e enviados às fábricas para classificação e enlatamento.

Importantes transformações ocorrem no aspargo fresco durante o período que vai da colheita até o seu preparo culinário. Na temperatura ambiente perde umidade e açúcares rapidamente. Essas transformações são tanto mais lentas quanto mais próximo de OºC, e, mesmo armazenado nessa temperatura ideal, perde suas qualidades, por isso, deve ser remetido ao consumidor ou à fábrica para enlatamento o mais breve possível.

Quando não se dispõe de refrigeração para os turriões, deve-se evitar o sol, lavá-los em água fresca, embalá-los convenientemente e remetê-los ao mercado quanto antes.

Email:
Senha:


Esqueci Senha
Cadastre-se
Receba as notícias
© 2001 - 2013 Criar e Plantar - Todos os direitos reservados