Início Pecuária Agricultura Aquicultura Horticultura TV Criar e Plantar

Busca no Site

Seções

Cará


Plantio

Sistema de plantio: O cará deve ser plantado em camalhões, como se faz com batata-doce. Esse sistema, além de permitir melhor desenvolvimento dos tubérculos, vem facilitar consideravelmente a operação da colheita. Os camalhões podem ser facilmente preparados com sulcadores puxados por animais. Depois de gradeado o terreno, abrem-se, com o sulcador, sulcos paralelos espaçados de 75 a 90 cm, de modo a levantar entre cada dois deles um camalhão.

Quando se deseja incorporar matéria orgânica, podem-se, primeiramente, abrir sulcos não muito profundos nas distâncias a serem empregadas entre os camalhões, e enchê-los com o material disponível: esterco curtido, etc. Em seguida abrem-se, intercaladamente, novos sulcos profundos, que cobrirão os anteriores e formarão os camalhões definitivos sobre o adubo.

Prontos os camalhões, os tubérculos são plantados em covas rasas abertas no cimo dos mesmos e cobertos com 4 a 6 cm de terra. Esse plantio pode ser, em parte, mecanizado. Para isso, ao se rasparem os sulcos para a formação dos camalhões, deve-se fazê-los de forma menos acentuada, de maneira a se obter uma espécie de sulco raso no centro do camalhão. Nesse sulco distribuem-se de 30 em 30cm, ou em outro espaçamento que se deseje, os tubérculos-sementes do cará. Para completar o plantio passa-se novamente o sulcador entre os camalhões de modo a levantar mais terra e cobrir as “sementes” colocadas sobre eles.

Qualquer que seja, porém, o processo de plantio, devem ser construídos os camalhões em direção perpendicular ao declive do terreno, para evitar a erosão e conseqüente perda de terra.

Sementes: Devem-se usar, para o plantio, pedaços de tubérculos ou tubérculos inteiros, de tamanho médio para pequeno, pesando entre 50 e 150 gramas. O corte dos tubérculos grandes precisa ser feito transversalmente, ficando os pedaços com peso entre 60 e 120 gramas. Os tubérculos poderão ser cortados, indiferentemente, no ato do plantio ou com antecedência de alguns dias: neste caso, basta ter-se o cuidado de armazenar os pedaços em lugar seco.

O tubérculo-semente do cará normalmente se conserva muito bem na terra aguardando a ocasião propícia para brotar e iniciar o desenvolvimento.

O cará destinado a “semente” não deve ser armazenado por muito tempo. O armazenamento superior a um mês pode ocasionar graves perdas por podridões e esgotamento.

Época de plantio: A melhor época para o plantio do cará é o período que vai de junho a setembro, tempo em que também se faz a colheita. Plantando-se assim, logo no início do ano agrícola, as plantas entrarão mais cedo em desenvolvimento, terão seu ciclo vegetativo bastante prolongado, e darão conseqüentemente, o máximo de produção. Pode-se plantar posteriormente àqueles meses, mas a produção será sempre menor quanto mais atrasado for o plantio.

Adubação: Pode-se fazer uma adubação fosfatada, empregando a farinha de ossos, ou uma mistura, em partes iguais, de farinha de ossos e torta de algodão ou de outra torta disponível, na base de 5 kg da mistura para cada 100 metros de linha. O adubo químico 10-10-10 poderá ser aplicado antes do plantio, em covas ou em sulcos, antes de receber as “sementes”. O methor será adubar indiretamente, isto é, plantar o cará em rotação de cultura após uma planta mais exigente, que tenha sido adubada. Nesse caso, o cará aproveitará, vantajosamente, os restos do adubo aplicado na cultura anterior.

Email:
Senha:


Esqueci Senha
Cadastre-se
Receba as notícias
© 2001 - 2013 Criar e Plantar - Todos os direitos reservados